X

Gestão de Frotas: quanto custa o tempo de inatividade de um veículo?

Caroline Borba 01 de Julho de 2022

Gestão de Frotas: quanto custa o tempo de inatividade de um veículo?


Mesmo em desuso, automóveis demandam investimentos em manutenção e documentação

 

Assim como estoque parado é sinônimo de prejuízo, quando o carro quebra, uma série de problemas é desencadeada. Seja na viagem interrompida, no motorista incapaz de trabalhar ou nos gastos com mão de obra e peças caras, representando perda certa para o negócio.

 

Chegar ao valor exato de quanto custa o tempo de inatividade de um veículo para a frota é uma tarefa que exige controle de expectativas, não apenas do gestor, como também da empresa e do cliente, que na outra ponta aguarda pela mercadoria.

 

Encontrar soluções que não apenas ponham o produto na estrada novamente, mas que coloquem o automóvel parado para rodar o mais rápido possível é tarefa vital dos responsáveis que travam nestas situações uma verdadeira corrida contra o relógio.

 

O segredo para sobreviver a essas intempéries com a menor dor de cabeça possível é estar preparado para elas. Mas, como?

 

O primeiro passo para reduzir o tempo de inatividade da frota é ter consciência de que reparos não previstos geram muito mais custos do que manutenções programadas.

 

É por isso que, gerenciar a frota de maneira adequada, é o caminho mais assertivo para a redução de custos e otimização de processos.

 

Faça os cálculos!

 

Fazendo as contas o gestor identificará facilmente que um veículo quebrado inesperadamente tem o valor de conserto equivalente a dois.

 

A aquisição de peças e a contratação de mão de obra especializada fora da previsão mensal também tem seu impacto negativo no orçamento da empresa.

 

É importante não se esquecer de adicionar a conta os custos com combustível e o salário do motorista, que segue normalmente com o contrato de trabalho para o período, estando parado ou não.

 

Chega de desculpas!

 

O atraso recorrente nas entregas é algo que testa a paciência de qualquer cliente, abrindo margem para a concorrência.

 

Não seja o fornecedor que vive pedindo desculpas e procurando justificativas para as mercadorias que não chegam ao destino dentro do período previsto.

 

Isso é prejudicial não apenas para a saúde mental dos gestores, como para a reputação da marca, que pode ter seus negócios prejudicados com o boca-a-boca negativo.

 

Preocupação com veículos extras

 

Automóveis que param de funcionar exigem substituição para que o fluxo do trabalho continue. Você tem com quem contar nestas horas?

 

Muitas vezes, para dar continuidade as entregas programadas, a empresa precisa realocar carros, deixando outras rotas descobertas ou ainda contratar uma frota terceirizada, gerando maior volume de veículos a supervisionar.

 

Invista em manutenção preventiva

 

Ter consciência do quanto custa a inatividade veicular dentro da frota, por mais que ela nunca possa ser 100% evitada, acende o sinal de alerta para a necessidade de redução desta despesa.

 

Comece desenvolvendo um cronograma efetivo de manutenção preventiva para garantir a saúde dos automóveis da sua empresa em longo prazo.

 

Use as tecnologias disponíveis no mercado e a precisão que elas levam para dentro dos negócios para auxiliar neste processo. Este é o caminho para o sucesso!

 

Quer saber mais sobre a utilização destes recursos tecnológicos? Faça contato com a Delta Global e descubra como o sistema de gestão de frota pode te auxiliar no cumprimento das programações de rota, através de informações e relatórios disponíveis na palma da sua mão, por meio de um aplicativo personalizado de acordo com a real necessidade da empresa.


Acesse aqui para falar com um dos nossos profissionais.

Quer receber nossos conteúdos?

Newsletter
Next Post

Próximo Post

Nícolas Galvão apresenta painel na Fetransporte Conference Brasil 2022

01 de Julho de 2022

Posts relacionados

Agora que você já sabe mais sobre agricultura de precisão, que tal simplificar também a sua gestão de frotas? Conheça o Delta Fleet!