X

Frotas: A importância da gestão de motoristas

Arthur Moraes 09 de Fevereiro de 2022

Frotas: A importância da gestão de motoristas


Como a tecnologia contribui no controle de motoristas trazendo segurança para o profissional e redução de custos para as transportadoras


A gestão de frotas é atividade essencial para as transportadoras otimizarem seus resultados. Através dessa atividade é que são elaboradas estratégias para diminuição de custos, e redução de impactos causados por imprevistos. Contudo, nem todos os pontos essenciais da atividade são previsíveis, por melhor que seja o gestor. O fator humano carece um cuidado especial.


O ponto é mais do que óbvio, mas, merece ser relembrado. Máquinas não lidam com dilemas e questões psicológicas comuns em pessoas. Ao mesmo tempo, nenhum gestor de frota tem domínio completo dos mais profundos aspectos que norteiam a psicologia humana. Então, como lidar com isso?


Entender que o motorista é parte essencial dos processos em uma transportadora é um dos passos. Cabe ao gestor compreender isso e trabalhar pela aproximação com estes profissionais e o monitoramento adequado do seu trabalho.


Motorista mais próximo ao gestor
O gestor tem por essência trabalhar da melhor forma possível com o que ele tem. Já abordamos a importância de contar com dados importantes sobre a frota para a melhor tomada de decisões. Contudo, a partir do momento que o veículo sai da transportadora, é o motorista que assume a responsabilidade no volante. Ele se torna responsável pelo veículo e pela carga que deve chegar em tempo hábil ao destino. Portanto o gestor de frotas precisa ter na figura do transportador um importante aliado.


O motorista está um dia após o outro na direção transportando a carga e cruzando rodovias, que nem sempre estão bem asfaltadas. Uma aproximação com esse profissional permite que o gestor entenda as principais dificuldades enfrentadas na sua rotina, além de abrir um canal de conversa que pode trazer sugestões e soluções vinda de um outro ponto de vista. Esse aspecto, muito ligado a inteligência emocional, coloca o gestor de frotas como um líder e uma figura de referência positiva para os demais colaboradores da transportadora.

Segurança em primeiro lugar
Já foi dito que o motorista é profissional essencial para as transportadoras. Resguardar a sua segurança é obrigação do gestor de frota, que deve estar atento as condições do veículo e garantir que haja monitoramento do seu trajeto. Atentar ao que for relatado pelos transportadores é primordial – como dito anteriormente. Contar com um banco de dados que forneça relatórios estratégicos ajuda na hora de determinar os veículos que devem passar por manutenção. Isso é, sobretudo, garantir que o motorista siga realizando sua atividade profissional com segurança.


Acompanhar os processos e o fluxo de trabalho da transportadora são parte do trabalho assumido pelo gestor. Contar com ferramentas inteligentes que registrem e monitorem o andamento das atividades são a melhor forma de garantir que tudo siga nos trilhos – e que imprevistos sejam episódios isolados ao invés de frequentes.


Uma forma de otimizar o trabalho para o gestor é o Delta Fleet, um sistema de gestão que permite acompanhar a frota através de rastreamento inteligente, que informa a velocidade da via, tipo de pavimentação e clima no local, além da localização em tempo real do transporte. Ele também fornece assistência 24 horas para emergências, telemetria com relatórios inteligentes, controle detalhado de manutenções e abastecimentos e, claro, uma visão panorâmica do desempenho dos motoristas com relatórios completos de suas operações. Dessa forma é possível estar coberto de dados para analisar os casos que merecem atenção, e priorizar a segurança do motorista.


Dados focados no motorista
Focando no motorista o Delta Fleet, além de realizar seu cadastramento, registra as batidas de ponto, relatórios com ignições, rotas e toda a jornada de trabalho executada. Inconformidades também são apontadas, como horas noturnas e horas de trabalho a mais do que foram previstas. Assim é possível acompanhar se a jornada de trabalho está sendo executada conforme acordado. Bem como os intervalos, se estão sendo respeitados, para garantir que o motorista está realizando suas refeições e descansos.


Ajustes da escala podem ser realizados pela plataforma com justificativas informando a necessidade respectiva da alteração. Assim, quando necessário, o funcionário é capaz de mudar sua jornada com o devido registro. Em casos extraordinários, é possível para a transportadora contratar com um motorista autônomo (MEI) para dirigir na sua frota.
Por fim, o Delta Fleet, através de um aplicativo desenhado exclusivamente para o motorista, registra os dados do perfil do motorista com sua foto, além do CNH, e seu vencimento, vinculando-o com o registro do veículo que está dirigindo. Dessa forma o gestor é capaz de ter a informação que precisar relacionado ao veículo que estiver monitorando. Dados como velocidade, frenagem, aceleração, curva brusca e tempo na direção são alguns exemplos do que ele pode ter ao seu dispor de maneira detalhada e objetiva.


Conclusão
Não adianta apenas contar com dados se o gestor não estiver atento aos motoristas, profissionais como ele, que desempenham a função fundamental nas transportadoras todos os dias. Conhecer os problemas diários e buscar soluções em conjunto geram um sentimento de pertencimento e tornam o gestor de frotas uma figura de liderança capaz de estimular os profissionais a segui-lo em busca do seu objetivo: otimizar os resultados e diminuir os custos diários da frota.
Os dados fornecidos por sistemas de gestão de frota são essenciais para garantir melhores decisões e estratégias mais assertivas. Trata-se de juntar o melhor que a tecnologia pode oferecer junto ao fator humano para que os resultados esperados possam ser alcançados.




Quer receber nossos conteúdos?

Newsletter
Next Post

Próximo Post

Os maiores desafios da Assistência 24 horas

09 de Fevereiro de 2022

Posts relacionados

Envie-nos suas dúvidas e sugestões através do formulário abaixo.