X

Jornada de motoristas: Como fazer o controle de maneira eficiente?

Arthur Moraes 24 de Agosto de 2021

Jornada de motoristas: Como fazer o controle de maneira eficiente?


Com o uso de tecnologia combinado com sistemas inteligentes é possível fazer com que dados sejam registrados, checados e armazenados de forma completa


Um bom controle de jornada do motorista é essencial para o fluxo ideal de trabalho. Para o profissional, o controle da jornada é um direito. Para as empresas que atuam diretamente com o serviço de transporte, uma necessidade diante da Lei 13.103/2015, a Lei do Motorista. Então, como é possível controlar as jornadas dos profissionais de uma maneira fácil, segura e eficiente? Indo muito além dos modelos tradicionais.


Para as empresas, além do cumprimento da legislação vigente e de preservar a integridade dos condutores, o controle de jornada também representa redução de custos com manutenção e, até mesmo, com combustível. Os resultados, porém, dependem de uma série de escolhas do gestor: desde o tipo de rastreador do veículo até a forma em que o motorista irá reportar suas atividades.


É importante lembrar que o controle de jornada só existe se houver a compreensão total do que prevê a jornada da categoria. Questões como limites de carga horária, tempo de descanso, tempo de espera, férias, hora extra e outros limites são estabelecidos pela Lei do Motorista - e são esses os parâmetros do controle na prática. Essas mesmas regras dão maior garantia de que a direção será feita de maneira correta, ou seja, sem apresentar riscos e reduzindo a chance de acidentes, tombamentos e distrações ao volante.



Acontece que essa tarefa de reportar e controlar informações - o diário ou controle de bordo - por muito tempo foi feita pelos profissionais de maneira manual e limitada. Na verdade, ainda hoje é possível ver controles feitos a mão, no papel mesmo, quando um leque de opções já está disponível nesse mercado para facilitar a vida de todos os envolvidos.


Com o uso da tecnologia e de sistemas inteligentes, é possível facilitar a vida de motoristas, gestores de frotas e até mesmo da equipe de Recursos Humanos. “Como meu motorista está dirigindo? Está fazendo as paradas corretamente? Está atuando no horário ideal?”. Para responder essas questões de saúde, que preservam a vida do motorista e, também, a qualidade da carga e da entrega, as ferramentas tradicionais dão lugar à modernidade.


O antigo teclado dentro do caminhão, por meio do qual o motorista avisava dos eventos da sua jornada e obrigava o setor de RH a reorganizar os dados, pode dar lugar a um aplicativo, por exemplo. Sim, é isso que acontece com sistemas de gestão completa de frotas, como o Delta Fleet: o motorista utiliza um app para informar seus horários e eventos do dia, como bater ponto, paradas, almoço, espera e descanso, dando praticidade e agilidade à tarefa.


Além do aplicativo, um rastreador localizado dentro do caminhão também registra horários e eventos de forma automática. O resultado? Uma equipe de especialistas cruza os dados de aplicativo e rastreador, com o objetivo de checar as informações e identificar alguma eventual inconformidade. Como último passo, um relatório completo é gerado dentro do sistema de acesso do gestor de frota e do RH, com as horas trabalhadas e os relatos de bordo.


A palavra-chave para serviços integrados como esse provavelmente é “segurança”. Envolver alta tecnologia e integrar sistemas, com um serviço especializado de checagem e organização de dados, significa dar mais segurança ao motorista, que tem a garantia de um bom controle de jornada e a certeza de que a sua saúde está sendo preservada para uma experiência de trabalho cada vez mais saudável. Para gestores de frota e RH, saber que seus motoristas, cargas e entregas estão preservados de acordo com as boas práticas é o controle mais eficiente que se pode ter.

Agora que você já conhece mais sobre jornada de motoristas, que tal simplificar também a sua gestão de frotas? Conheça o Delta Fleet!


Categorias:


Autor:
Arthur Moraes 24 de Agosto de 2021

Next Post

Próximo Post

Transporte de cargas: O que é o CTRC?

24 de Agosto de 2021

Posts relacionados